09/01/2017

Priorização seletiva da Dataprom chega ao BRT de Niterói

Sistema que reduz o tempo de viagem e os custos do transporte coletivo já atende cidades como Rio de Janeiro, Curitiba e Uberaba

A necessidade de priorizar o transporte coletivo no sistema viário é consenso em todo o mundo. Mas não basta apenas investir mais recursos para que isso ocorra. É preciso empregar tecnologia nesse processo, de forma a organizar uma complexa operação em meio aos mais de 51 milhões de automóveis particulares que rodam nas cidades brasileiras. Pensando nisso, a Dataprom oferece um sistema que prioriza o ônibus nos cruzamentos com semáforos, ampliando o tempo de verde ou antecipando a mudança do vermelho para o verde. Tudo isso feito em sincronia com as vias transversais de modo a garantir a plena segurança no trânsito.

Depois de anos em operação nos sistemas de BRT (Bus Rapid Transit) de cidades como Curitiba, Rio de Janeiro e Uberaba, agora é a vez dos moradores de Niterói também usufruírem dessa solução que ajuda a atrair passageiros para o transporte coletivo ao torna-lo mais rápido e eficiente. Juntos, os BRTs dessas quatro cidades transportam mais de 4 milhões de pessoas por dia em 255 quilômetros de corredores segregados.

Para viabilizar a priorização ao transporte coletivo, a Dataprom desenvolveu uma solução que funciona basicamente por meio da comunicação entre o ônibus, o semáforo e o Centro de Controle Operacional. Tudo pré-programado e sem a necessidade de intervenção humana no processo. A mecânica de funcionamento do sistema se dá por meio da leitura do peso do veículo (massa metálica) feita por um laço de indução instalado no asfalto. Esse leitor é colocado distante 30 a 40 metros do semáforo, espaço suficiente para que o alerta dado respeite um tempo mínimo de 12 segundos para a mudança do sinal. O tempo é necessário para que o fluxo de automóveis das transversais pare de forma suave.

Outra novidade do produto veio graças aos mais de 25 anos de atuação da empresa no mercado. Essa experiência permitiu que a empresa alinhasse seu sistema de Prioridade Seletiva à planilha de programação das viagens. Trata-se de um moderno comunicador que emite o sinal de prioridade apenas quando há necessidade para tal. Isso evita, por exemplo, que se dê a prioridade a um ônibus que já esteja adiantado em relação à sua programação.

Toda essa engenharia tem como pano de fundo alguns propósitos bem caros à operação do transporte coletivo: economizar tempo, atrair mais passageiros e reduzir os custos de operação. No corredor Transoeste do sistema carioca, por exemplo, estima-se que a implantação da Prioridade Seletiva tenha economizado uma viagem a cada sete realizadas. São menos veículos transportando a mesma quantidade de passageiros em menos tempo. Bom para operador, que reduz seu custo operacional. Excelente para o passageiro, que chega mais rápido no seu destino.